Mistério em Tijucas: “cara, cadê minha água?”

Mistério em Tijucas: “cara, cadê minha água?”

Muitos moradores de Tijucas estão inconformados com o retorno da falta de água em suas casas, comércios e indústrias. Em um momento que Tijucas vivencia a ascensão da Praia do Pontal Norte e as obras de transposição do Rio Tijucas – que enviará água captada no município até Bombinhas – muita gente tem se perguntando: “cara, cadê minha água?“.

No WhatsApp, vários grupos estão sendo criados para informar os mais preocupados. Segundo um morador do bairro Universitário, o presidente do SAMAE tentou explicar a situação: “No domingo, quando deu aquela chuva faltou energia e o motor não bombeou água para o reservatório, como o consumo é muito grande infelizmente deu esse problema. Água na rede tem, mas sem pressão, o jeito é colocar uma cisterna”, afirmou o atual presidente do SAMAE. No entanto, o morador afirma que na quinta-feira já faltava água.

Em entrevista ao Jornal Rádio Vale, o prefeito Elói Mariano Rocha afirmou que no Residencial Mata Atlântica há muitos imóveis geminados, e que o sistema não dá conta de abastecer todos os moradores. Elói também disse que Tijucas terá uma estação de captação de água do rio, mas não afirmou quando iniciarão as obras.

Se falta água no Mata Atlântica por conta dos geminados, então tem loteamentos aí que não eram pra ter nenhum gota. O que de fato não acontece no Loteamento dos Feller, na Joáia“, questionou uma empresária de Tijucas.

Na internet, há boatos que uma grande manifestação será organizada, com objetivo de cobrar respostas convincentes e soluções imediatas por parte dos funcionários públicos. “Vamos cercar o SAMAE, a Prefeitura ou até mesmo cada um deles se for preciso. É um verdadeiro atentado contra nós, ter que pagar água e não tomar um banho decente no final de um dia exaustivo de trabalho. Ainda mais no Verão!!! Garanto que na casa de cada um deles não falta água!“, desabafou um tijucano indignado.

 

Topo